phone(41) 3352-3032  phone(41) 99969-0254 (TIM)

Suporte Técnico

Suporte Técnico

Descrição:
Pragas alvo: traças, carunchos, gorgulhos, besouros.
FUMICEL é um inseticida fumigante à base de fosfeto de magnésio que desprende o gás fosfina (PH3) quando exposto à umidade do meio ambiente e do produto a ser expurgado. As placas de FUMICEL, assim que deslacradas dos respectivos invólucros iniciam lentamente o desprendimento do gás fosfina. FUMICEL é mundialmente empregado para fumigação (expurgo) de grãos armazenados a granel, embalados ou ensacados, produtos processados, folhas de fumo e na fumigação espacial de silos, armazéns, depósitos e moinhos vazios.
Apresentação: FUMICEL vem embalado em tambores metálicos contendo 120 placas.

Rizopertha dominica

Identificação

É um inseto primário que mede entre 2,5 a 3 mm de comprimento, com coloração variando entre o castanho claro a café escuro. O corpo é de forma cilíndrica, alargado, com a parte posterior arredondada. Possui uma cabeça retrátil dentro do protórax. Antenas com os três últimos segmentos visivelmente maiores que os demais. Tem excelente capacidade de vôo, motivo pelo qual já o encontramos em nível de campo, em lavouras de arroz e, ainda, atacando pinhas de Pinus Eliotis. As fêmeas depositam durante sua vida cerca de 300 a 400 ovos, tanto na superfície como entre os grãos. As larvas, dotadas de patas, perfuram e se instalam no interior dos grãos, dos quais se alimentam e onde geralmente passam a fase de pupa. Tanto as larvas como os insetos adultos se alimentam dos grãos. Dependendo das condições de temperatura e umidade, o ciclo completo do inseto dura de 28 a 70 dias. O inseto adulto vive de 4 a 6 meses. Pode sobreviver e se multiplicar em grãos com um conteúdo de umidade inferior a 9%.

A pior praga atualmente

O Rizopertha dominica é hoje considerada a pior praga que ataca cereais armazenados em nosso País. Embora raramente detectada nos armazéns e silos antes de 1980, já na década de 1930 havia referências de sua existência no Brasil.

Espalhou-se rapidamente

Entretanto, nos últimos anos, com a Diesel Water Pumps Factory importação de sementes de trigo do Paraguai e do México, principalmente, a sua disseminação foi rápida. Inicialmente atacando o trigo estocado, o Rizopertha dominica, a exemplo do que ocorre na Argentina, também já vem causando prejuízos nos estoques de milho e arroz. Sua Waterous Fire Pump Factory voracidade é incrível. Não só consome como destrói com suas poderosas mandíbulas, enorme quantidade de grãos. Por isso, a principal característica da presença deste inseto nos silos e/ou armazéns, é a grande quantidade de um pó farináceo em mistura com material fecal, com um cheiro adocicado, existente entre os grãos atacados.

rizopertha
















Rizopertha dominica

rxrizopertha

Raio X de grão com larva de rizopertha dominica

Transcrevemos um ensaio realizado há poucos anos, pelo Professor Octávio Nakano, da ESALQ, de Piracicaba (SP).

Olho vivo: outra praga mais destruidora ainda

A ação do Rizopertha dominica somente é superada pelo seu parente próximo, o Prostephanus truncatus, praga que ataca o milho, reduzindo a própria espiga a pó. Embora comum na África e alguns países da América Central, felizmente ainda não foi constatada no Brasil.

 

 

DANOS DE  Sitophilus orysae  E  Rizopertha dominica  EM  MILHO ARMAZENADO

PESO DA AMOSTRAPERDA EM3 DIASPERDA POR DIAPESO DOS INSETOSPERDA EM3 DIAS%DA PERDA
25 INSETOSgggggg
Sitophilus890001150
Rizopertha890006750

CÁLCULO DOS DANOS
25 insetos em 90 gramas = 277.777 insetos em 1 tonelada
Dano por dia de 277.777 insetos em 1 tonelada de grãos =2
Sitophilus - 277.777 gramas X 0
Rizopertha - 277.777 gramas X 0
Dano durante a vida média dos insetos adultos =
Sitophilus - 833
Rizopertha - 5.555 gramas X 100 dias = 555

 

 

 

Sitophilus zeamais - Gorgulho do milho

Identificação

Insetos primários, vulgarmente conhecidos como gorgulhos. São besourinhos de 2,5 a 4 mm de comprimento, de coloração castanho escuro, com quatro manchas vermelho claro nos élitros. O protórax está densamente coberto de depressões circulares ou ligeiramente ovaladas. Como principal característica, possuem uma cabeça prolongada formando uma tromba um pouco recurvada, onde se inserem as peças bucais. A tromba do macho é mais curta e rugosa. Atacam indistintamente milho, arroz, trigo, sorgo, centeio, cevada, aveia e outros cereais e produtos, causando anualmente enormes prejuízos.

Erroneamente alguns autores brasileiros os têm confundido, quando atacam o trigo, com o Sitophilus granarius. Entretanto, esta praga , ao contrário do Sitophilus orysae e do Sitophilus zeamais não voa e não existe no Brasil. Ao Sitophilus zeamais é atribuída a maior causa das infestações em nível de campo, pela sua maior capacidade de vôo. Entretanto, as duas espécies tem sido encontradas com freqüência, atacando o mesmo produto. Embora alguns técnicos assegurem ser possível distingui-los com um simples exame visual, pelas suas características morfológicas externas, uma identificação segura somente pode ser feita em nível de laboratório, com o exame no microscópio, das genitálias dos referidos insetos.

sitophilus

Sitophilus orysae e zeamais

Ovos depositados um a um dentro do grão

Cada fêmea pode produzir de 150 a 400 ovos durante a sua vida. Com as peças bucais ela faz um orifício no grão, onde deposita apenas um ovo por vez, fechando em seguida o furo, com uma secreção gelatinosa que endurece em contato com o ar, dissimulando assim a cavidade. No laboratório, o furo pode ser facilmente detectado com o tingimento dos grãos com violeta de genciana. As larvas, de coloração creme, com a cabeça escura, não possuem patas e, em seu desenvolvimento destroem totalmente o interior dos grãos.
Em condições propícias de temperatura e umidade ( 28° C e 70% de U.R. ) o ciclo evolutivo destas espécies se realiza, do ovo ao adulto, em 28 dias, com uma produção de 6 a 8 gerações por ano. Os insetos adultos vivem 4 a 5 meses.

 

 

 

Sitophilus orysae  -  Gorgulho do arroz

Identificação

Insetos primários, vulgarmente conhecidos como gorgulhos. São besourinhos de 2,5 a 4 mm de comprimento, de coloração castanho escuro, com quatro manchas vermelho claro nos élitros. O protórax está densamente coberto de depressões circulares ou ligeiramente ovaladas. Como principal característica, possuem uma cabeça prolongada formando uma tromba um pouco recurvada, onde se inserem as peças bucais. A tromba do macho é mais curta e rugosa. Atacam indistintamente milho, arroz, trigo, sorgo, centeio, cevada, aveia e outros cereais e produtos, causando anualmente enormes prejuízos.

Erroneamente alguns autores brasileiros os têm confundido, quando atacam o trigo, com o Sitophilus granarius. Entretanto, esta praga , ao contrário do Sitophilus orysae e do Sitophilus zeamais não voa e não existe no Brasil. Ao Sitophilus zeamais é atribuída a maior causa das infestações em nível de campo, pela sua maior capacidade de vôo. Entretanto, as duas espécies tem sido encontradas com freqüência, atacando o mesmo produto. Embora alguns técnicos assegurem ser possível distingui-los com um simples exame visual, pelas suas características morfológicas externas, uma identificação segura somente pode ser feita em nível de laboratório, com o exame no microscópio, das genitálias dos referidos insetos.

sitophilus

Sitophilus orysae e zeamais

Ovos depositados um a um dentro do grão

Cada fêmea pode produzir de 150 a 400 ovos durante a sua vida. Com as peças bucais ela faz um orifício no grão, onde deposita apenas um ovo por vez, fechando em seguida o furo, com uma secreção gelatinosa que endurece em contato com o ar, dissimulando assim a cavidade. No laboratório, o furo pode ser facilmente detectado com o tingimento dos grãos com violeta de genciana. As larvas, de coloração creme, com a cabeça escura, não possuem patas e, em seu desenvolvimento destroem totalmente o interior dos grãos.

Em condições propícias de temperatura e umidade ( 28° C e 70% de U.R. ) o ciclo evolutivo destas espécies se realiza, do ovo ao adulto, em 28 dias, com uma produção de 6 a 8 gerações por ano. Os insetos adultos vivem 4 a 5 meses.




logobc Tel:(41) 3352–3032 e Cel: (41) 99969-0254 (TIM)